Um ano de corrida

Ontem completei um ano de corrida.

Quando me mudei para Porto Alegre tive de deixar a dança para trás, o que tirou uma dor do meu pé e colocou outra no coração. Poetizei. Por um ano e meio a minha rotina de exercícios físicos na Capital se baseou em 1) 40 minutos de caminhada, 2) 10 minutos de corrida e 3) um brigadeiro para repor as energias. Sou o tipo de pessoa que não merece ter o exemplo seguido. Em setembro de 2013, decidi, finalmente, mudar esse sedentarismo disfarçado de vou-na-Redenção-uma-vez-por-semana.

Ontem completei um ano de corrida.

Há um ano atrás eu fechei o meu plano na academia com um objetivo: alcançar a disposição, força de vontade e manequim da Carol Buffara. Como podem ver, não deu certo. Mas nem tudo deu errado.

Ontem completei um ano de corrida e, posso afirmar com leveza (só) na alma que:

  • A ansiedade diminuiu em, hum, talvez, 80%. Principalmente a que diz respeito por doces;

  • Estou dormindo melhor. E acordando melhor. Finalmente consigo descansar durante o sono;

  • Me tornei uma pessoa mais feliz. A corrida proporciona um bem estar danado, seja com cinco ou 40 minutos na esteira. A corrida deixa o corpo, a mente e o espírito leves;

  • Não existe estresse. Só com TPM e olhe lá. Até aqueles dias que nos brindam com tempestade, vento, guarda-chuva perdido, ônibus lotado e pedra solta na calçada terminam com bom humor;

  • Notei mais facilidade para me concentrar, ler e escrever. A minha memória melhorou;

  • Minha alimentação é outra. Não nego, correr dá mais fome. Porém, a vontade de devorar coisinhas saudáveis, nutritivas e coloridas supera a compulsão por besteiras;

Durante um ano de corrida quase diária, testando a cada treino um minuto a mais da minha resistência, a vida me presenteou com muitas coisas boas. O que quero dizer com isso: não vou cravar nesse bloguinho a tese de que a listinha acima tem relação somente com a corrida. Pode ser que talvez, pode ser que sim, pode ser que com certeza. Outro ponto que deve ser levado em consideração: as pessoas são diferentes, e os resultados mudam de acordo com a rotina, alimentação e metabolismo de cada um.

Mas o conselho fica: corram!

Se derem um Google, vão ver que não estou mentindo. A corrida muda a vida das pessoas.

Anúncios

2 comentários sobre “Um ano de corrida

  1. Pingback: Correr para se sentir vivo | Mariana Fritsch

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s